segunda-feira, 13 de julho de 2009

A ! versus a †

Bem se sabe que nossa torcida, em sua maioria, tem o sangue muito, muito quente.
Talvez pelo fato de que, a maioria (como eu), descende de Italianos, como nosso clube.
Somos um povo que fala alto, gesticula muito e quando temos amor a alguma coisa, chega a ser doentio.
Isso também vale para nosso Palestra. Amamos tanto, que chegamos a ficar cegos por Ele.
Passamos por um momento estranho no nosso clube.
Tínhamos um técnico com uma capacidade gigantesca, porém a mania de ser manager e do carteado mudaram-lhe o foco. Ficamos reféns de suas experiências e má vontades, pois nem treinar o time direito, treinava.
Namoramos com outro grande técnico, porém ou blefou (e se deu mal) ou "subiu na gilete" para fazer discurso se achando a última bolacha do pacote (se deu mal, o retorno).
Nosso interino segue dando uma cara nova ao time, empatamos contra o Santos, goleamos Avaí e Náutico. Mas fica a pergunta, valem como testes? (assunto para outro post).
Em meio a tudo isso, temos duas pessoas que, não conheço pessoalmente, mas criei o hábito de ler seus textos diariamente e aguardar pelos mesmos.
Com o passar do tempo, e com alguns jogos ruins do Palmeiras no Paulistão-09, passei a achar a postura de um deles muito conivente. Para mim, o time estava mal e não seria campeão. Questiono a situação no site dele e nem resposta, fui tiranamente ignorado.
Entretanto, vejo que o outro, concorda em algumas partes com a minha visão e discute a mesma abertamente com todos (incluindo eu).
Ao longo dos meses, o segundo mostrou-se aberto a novos colegas de blogs, mesmo que iniciantes. Mostrou-se competente em dar notícias e análises FRIAS e IMPARCIAIS sobre nossa equipe. Quando era para apontar quem estava mal, apontava, sem falar no fato de ter sido um dos primeiros a apontar o dedo para Mr. Luxa.
Acabei por passar a gostar das discussões e idéias do novo colega de blog, a manter o site aberto no Firefox, a comentar e assinar comentários. Normal em um espaço onde até nossos posts são mostrados. Já o outro, fecha-se cada vez mais em um mundo Pró-bem estar-diretoria.
E então que, talvez no calor da situação, o primeiro resolve atacar o segundo publicamente, com N argumentos e acusações. Até o momento que escrevia este post, o segundo limitou-se a escrever poucas linhas sobre nossa vitória no sábado e ainda pediu que deixássemos tudo em paz por enquanto, e nem fez réplica ao primeiro.
Não tenho motivos para "apoiar" um ou outro, mesmo por que, na blogosfera sou tão pequeno que meu apoio é muito pouco ou nada.
Simplesmente passei a simpatizar mais com o segundo com o passar do tempo.
Ele deu um furo, que foi furado, mas isso acontece com todo mundo, até com o primeiro...
Não é o momento de nossa torcida se separar, desunir-se e ficar de picuinhas. Como eu sempre falo aqui, nossa torcida tinha que ser uma só, cantando, gritando o tempo todo.
Lembram quando a Mancha fazia o Mar Branco no Palestra? Aquilo era torcer.
Por isso, gosto mais do que leio na †, quem sabe, com a volta da imparcialidade, leio mais o !.

0 comentários: