segunda-feira, 23 de novembro de 2009

O fim do sonho

PS.: Comecei a escrever esse texto, na quarta-feira, após o jogo. Não tinha ânimo para concluí-lo, e o silêncio, foi pela decepção. Terminei ele hoje, esquecendo os resultados do final de semana.
Mas a tristeza, ainda está aqui dentro.

Hoje (quarta-feira, 18/11) todo um ano foi jogado fora. Todo um projeto, toda uma estrutura, milhões de reais e, acime de tudo, um sonho.
O sonho de ser campeão brasileiro, de gritar, é campeão!
Mas, não foi esse ano.
Podemos dizer que o Palmeiras foi o GRANDE quase Campeão do Ano.
Fomos a sensação do Paulista, terminamos a fase de turnos em primeiro lugar, enfrentamos o Santos e... duas derrotas.
Campeonato Brasileiro, time forte, Diego Souza, CleitonX. 20 rodadas na liderança e no final, tudo por água abaixo novamente.
O mais triste, não é nem perder, pois futebol é feito de vitórias, derrotas e empates. O triste é ver um time rachado. Um time que briga entre si, após levar APENAS 1 gol, tem algo errado.
A um mês atrás, o Seo Cruz, publicou o texto, 13 cuzões, que esclarecia bem a situação em que nosso Palestra se encontrava. A grande verdade é que o time está rachado e que existem peças ali, que não querem ser campeões Brasileiros.
Aí nós, torcedores, perguntamos, mas por que um jogador vai deixar de conquistar um título tão grande como o Brasileiro? Ora, pensem alguns segundos... Se for campeão, a diretoria segura no mínimo mais 6 meses para a disputa da Libertadores, e assim, a ida para a Europa é novamente adiada.
Ah mas isso é impossível!! Como o jogador pode pensar assim!?
Como dizia minha avó, impossível é Deus pecar... Alguns ali dentro não estão nem aí para o Palmeiras, querem saber é de ganhar em Euros, de jogar somente aos domingos, de passar a semana tranquilo. Sabe quem sofre?! Eu, você e mais 15 milhões de Palestrinos.
É hora de atirar pedras? Não, pois se fizermos isso, nem para a Libertadores vamos. E sinceramente, disputar a atual Copa do Brasil e a Sul Americana, é para time pequeno, não para o Palmeiras.
Ao contrário do que Cipullo disse, Libertadores é obrigação sim!
Alguns podem dizer que a culpa disso tudo é do Muricy. Sou obrigado a discordar. No início, não fui a favor dele no comando do nosso Palestra, mas nunca neguei que o cara é bom. Acho que falta (ou faltava) identificação com nosso clube. Mas, já que veio, temos que apoiá-lo. O cara é o atual tri campeão, não é tetra por conta da Zveitada de 2005, e não vai ser tetra-hepta, por culpa dos jogadores do Palmeiras.
Ele fez algumas substituições erradas? Algumas escalações loucas? Sim, mas imaginem-se no lugar dele, olhar para o banco e ver Marcão, Jumar e companhia... Triste não!?
Desse elenco nosso, o único que ele aprovou (meteu o dedo) foi a vinda do Love, onde ele foi consultado e aprovou. Do restante, ele não opinou e conhecia pouco do estilo de jogar.
A cultura brasileira tem que se acostumar que mandar técnico embora resolve a situação em poucos casos. Só mesmo quando o grupo está contra o técnico. O que não é o caso.
Podem ver pelo caso Maurício x Obina. Muricy tem culpa? Desculpem, mas não tem. Ficou claro que Maurício é um dos "revoltadinhos" por conta de salário. Agora não queira ele ganhar o que o Love ganha, por que nem para tirar a bola do Maxi Lopes, Mauricio serviu.
A grande verdade é que temos que continuar a luta, ganhar os jogos que faltam e deixar ver o que acontece. O título é difícil, é sim, mas não impossível. A Libertadores está muito perto, então, vamos lutar até o fim, e fora os pipoqueiros e "revoltadinhos".
Na pior das hipóteses, devemos manter Muricy para ano que vem, e, mais uma vez, esperar o próximo ano.
Mas, deixo aqui a pergunta: Diretoria, até quando vai ser assim? Sempre para ano que vem...

0 comentários: